Dicas para você melhorar seu sexo

Quase 56% das mulheres não estão muito satisfeitas com sua vida sexual. Aqui estão algumas idéias para apimentá-lo. 

Desejo e prazer podem ser aprendidos. Os sexólogos e psicoterapeutas do casal podem muito bem martelar essa mensagem essencial, mas é difícil transmiti-la. 

Por preguiça, falta de informação ou medo de ser julgada pelo parceiro, as mulheres não ousam. 

Porém, podem, sozinhas e com o parceiro, acordar, ouvir e educar seu corpo.

Comunique-se com seu parceiro

A má comunicação dentro do casal continua sendo a primeira causa das desavenças sexuais. 

Homens e mulheres falam a mesma língua, mas não relacionam as mesmas representações às mesmas palavras.

Sem falar no acúmulo de tensões, disputas e renúncias que empurram para o recolhimento em si mesmo.

Resultado: 40% dos homens e mulheres sentem que não são compreendidos pelo parceiro.

A dificuldade?

Estejam conscientes desse bloqueio juntos e desejem superá-lo juntos.

Para se reconectar com o desejo, aconselha-se ir buscar este estranho que pensamos conhecer muito bem.

Por que não marcar um encontro secreto, passar uma tarde no hotel.

A transgressão, mesmo abertamente entendida, sempre gera surpresas.

Se o casal não conseguir resolver a situação, eles também podem consultar um terapeuta sexual.

Explore e conheça seu corpo

O desconhecimento e a imprecisão sobre o funcionamento da região genital são surpreendentes.

Por exemplo, muitos pacientes não sabem exatamente onde está seu clitóris

Segundo os sexólogos, explorar o corpo, experimentar carícias e experimentar o prazer solitário constituem a espinha dorsal da atividade sexual. 

Algumas mulheres consideram essa prática vergonhosa, até egoísta. 

O prazer solo promove o orgasmo para dois. 

De acordo com a pesquisa de Philipe Breno, 55% das mulheres se masturbam regularmente, o dobro de trinta anos atrás.

Os brinquedos, agora vendidos em montras, prática dramática. 30% das mulheres já mergulharam e adquiriram o pato vibratório ou o seixo de silicone. 

Esses brinquedos são usados ​​para ativar áreas anteriormente dormentes. 

Mas evite exagerar! O corpo pode se acostumar com estimulação excessiva e não ficar satisfeito com a estimulação natural. 

coelho, por exemplo, não apenas vibra: ele gira de uma maneira que nenhum macho consegue imitar.

Fazer musculação

Este é um músculo em que quase nunca pensamos: o períneo, os músculos que circundam a pelve. 

Este assoalho pélvico, que vai do púbis ao ânus, sustenta todos os órgãos.

Na relação sexual, um períneo bem treinado nas contrações reflexas dará mais sensações à mulher e ao parceiro.

As mulheres ocidentais não estão acostumadas a resolver isso, enquanto as orientais naturalmente reforçam isso frequentemente agachando-se.

Sem adotar essa posição, basta contrair a região – como se você parasse de urinar – em séries de 15, pelo menos 3 vezes ao dia.

Para testar no metrô, no trabalho ou no restaurante! Exercícios mais específicos podem ser praticados com um fisioterapeuta especializado em uro-ginecologia.

Após o parto, reabilitação do períneo.

Cultive suas fantasias

Um terço das mulheres não fantasia: por inibição ou porque acreditam que estão traindo o parceiro. 

Mas “as fantasias são necessárias para o desejo”. 

Ao ver o outro, desenvolvemos uma alucinação, que se alimenta de lembranças, frustrações e imagens da sexualidade que nos cerca . 

A fantasia permite o que é proibido na vida: ter um amante, fazer amor na praia ou no banho de champanhe, imaginar-se em situações desviantes. 

Cabe a todos encontrar suas fontes de inspiração.

Leia também: O estimulante sexual masculino Erectaman é o melhor do mercado?

Desenvolva sua sensualidade

O prazer é baseado em uma mistura sutil de excitação (portanto tensão) e relaxamento.

Um dos segredos do equilíbrio entre esses dois estados é a sensualidade: cada um se entrega às carícias do outro.

No entanto, tanto homens quanto mulheres têm uma tendência excessiva de esbanjar aqueles que gostariam de receber.

Os terapeutas sexuais recomendam tentar o foco sensorial, desenvolvido na década de 1960 pelos americanos Masters e Johnson. 

Os dois parceiros se massageiam, sem insistir nas zonas erógenas . 

O receptor dá indicações ao seu parceiro sobre o andamento e a intensidade. 

Quem dá tenta sentir o que faz seu parceiro vibrar.

As nossas dicas acabam por aqui mas se ficou algum dúvida é só deixar elas no comentários.

Sempre será um prazer responder.

Agora, se quer voltar para nossa página inicial basta clicar no link.

Até a próxima.